POÉTICA DO COTIDIANO

Textos, Frases, Cartas, Poemas, Canções, Diálogos, Interrogações... Todas as palavras que preenchem o nosso dia-a-dia... com muita poesia!

segunda-feira, janeiro 31, 2011

Não tenho chorado, como não tenho vivido.

Sensibilidade. Admiração. Espanto. Essas coisas existem? Aonde? Aonde foi para a minha capacidade de indignação? E a vontade de assistir a um pôr-do-sol, onde está? O céu azul que eu gostava de contemplar, ainda é o mesmo?O olhar de um bebê, o sorriso de uma pessoa amada, a música romântica que toca no rádio sem avisar, são coisas que não acontecem mais? Ou será que meus olhos estão cerrados, meus tímpanos estouraram e a minha pela está sofrendo de lepra? A capacidade de sentir é habilidade imprescindível para viver. Mas se ela nos abandona, o que podemos fazer?

2 comentários:

MaryC. disse...

Começar a enxergar com os olhos do coração é o melhor remédio.. Mas desde quando coração têm olhos?? Desde nunca né.. Então só sinta com o coração, ouça o som, ouça a imagem, ouça o pôr-do-sol e os passaros cantando. Num tem insensibilidade que resista a isso!

srt.:Rebeca disse...

"Socorro não estou sentindo nada/Nem medo nem rancor/Nem fome nem vontade de chorar/Nem de rir//Socorro alguma alma mesmo que penada/Me empreste suas penas/ Já não sinto amor nem dor//Já não sinto nada//Socorro alguém me dê um coração//Que este já não bate nem assopra//qualquer coisa/ Qualquer sentimento/Qualquer coisa que se sinta//De tantos sentimentos deve ter algum que sirva"

Lenine