POÉTICA DO COTIDIANO

Textos, Frases, Cartas, Poemas, Canções, Diálogos, Interrogações... Todas as palavras que preenchem o nosso dia-a-dia... com muita poesia!

terça-feira, agosto 10, 2010

OURO DE TOLO

Ouro de Tolo - Raul Seixas
 

Eu devia estar contente

Porque eu tenho um emprego

Sou um dito cidadão respeitável

E ganho quatro mil cruzeiros

Por mês...


Eu devia agradecer ao Senhor

Por ter tido sucesso

Na vida como artista

Eu devia estar feliz

Porque consegui comprar

Um Corcel 73...


Eu devia estar alegre

E satisfeito

Por morar em Ipanema

Depois de ter passado

Fome por dois anos

Aqui na Cidade Maravilhosa...


Ah!

Eu devia estar sorrindo

E orgulhoso

Por ter finalmente vencido na vida

Mas eu acho isso uma grande piada

E um tanto quanto perigosa...


Eu devia estar contente

Por ter conseguido

Tudo o que eu quis

Mas confesso abestalhado

Que eu estou decepcionado...


Porque foi tão fácil conseguir

E agora eu me pergunto "e daí?"

Eu tenho uma porção

De coisas grandes prá conquistar

E eu não posso ficar aí parado...

 
Eu devia estar feliz pelo Senhor

Ter me concedido o domingo

Prá ir com a família

No Jardim Zoológico

Dar pipoca aos macacos...


Ah!

Mas que sujeito chato sou eu

Que não acha nada engraçado

Macaco, praia, carro

Jornal, tobog

Eu acho tudo isso um saco...


É você olhar no espelho

Se sentir

Um grandessíssimo idiota

Saber que é humano

Ridículo, limitado

Que só usa dez por cento

De sua cabeça animal...


E você ainda acredita

Que é um doutor

Padre ou policial

Que está contribuindo

Com sua parte

Para o nosso belo

Quadro social...


Eu que não me sento

No trono de um apartamento

Com a boca escancarada

Cheia de dentes

Esperando a morte chegar...


Porque longe das cercas

Embandeiradas

Que separam quintais

No cume calmo

Do meu olho que vê

Assenta a sombra sonora

De um disco voador...









Essa música diz muito do que estou sentindo no momento. Daí que você tem um emprego – coisa que muita gente sonha – um salário razoável, a tal “estabilidade” tão buscada por muitos, uma vida que o povo vive pedindo a Deus.

Mas não é isso, no fundo, no seu íntimo você sente que essa não é a sua vida, não é nada disso que você queria. Essa estabilidade não é o que você queria, não te deixa tranquila, segura, por que a vida que você sonhou não é esta. E você nem pode reclamar com ninguém, porque vão te achar maluca, vão dizer que você tem que dar graças, festejar...

O problema é que o que você tá sentindo só você sabe, só você sabe que “deveria estar contente”, deveria, mas não estar. A sensação de estar sentada “no trono de um apartamento com a boca escancarada, cheia de dentes esperando a morte chegar” é tão ruim, parece que voce está muito longe dos seus sonhos, dos seus desejos e você vai murchando, murchando, perdendo a alegria, mas tem que manter o sorriso falso no rosto e achar tudo lindo, e agradecer os parabéns.

E podem dizer que você mesmo assim pode ir atrás dos seus sonhos, mas esquecem que você não tem mais tempo, nem disposição. E você não sabe o que fazer pra curar o vazio de dentro, porque você nunca soube viver na superficialidade.

E você se pergunta o que fazer, se pergunta se está preparado para frustar muita gente que você ama, e se você tem coragem de largar tudo, e o que vai acontecer se voce fizer isso? E se você opta por ficar, e abrir mão do que você realmente quer? Se você se acostumar a viver essa vidnha? Se você aprender a viver no raso?

Todas essas dúvidas, na verdade medos, ficam povoando a sua cabeça – sem respostas. E enquanto você pensa, se pergunta, tem medo, sente angústia, o tempo vai passando, por que ele sempre passa.


Um comentário:

srt.:Rebeca disse...

Perfeito seu texto!!!
Parabéns, Fau!
:D
Ass.: Rebeca do "Fala Escritor"